topo
A vida e arte da açailândense Lea Sousa! A vida e arte da açailândense Lea Sousa!
Leane Sousa da Silva, assina suas obras como Lea Sousa, açailândense de 22 anos, já tem muita história pra contar sobre a importância da arte em sua vida. Vamos conhecer isso um pouco hoje!
Por Redação | 12/04/2021 ás 21h58
Compartilhar no Whatsapp

Lea começou a despertar para a arte da pintura aos 14 anos, quando fez seus primeiros e simples rascunhos, mas foi aos 17 que a paixão aflorou de vez, pois foi quando ela teve suas primeiras experiências com a tinta óleo, e o líquido a fez começar a tirar do papel e inciar nas telas, ficou evidente seu dom para pintar.

Lea não define sua arte com um estilo único, mas inclui em seu trabalho com ilustrações, o naturalismo, o surrealismo e outros. A forma geométrica, perceptível em todas as suas obras, é sua assinatura tanto em telas quanto em murais. Ela afirma que ama ser artista alternativa porque isso torna sua mente aberta para o mundo da arte.

Observando suas pinturas é difícil não questionar de onde vem a inspiração para seus desenhos, Lea garante que tudo surge espontaneamente, como uma força de vontade própria, que o que torna seu trabalho gratificante é o resultado e como as pessoas exergam. As opiniões, a forma que interpretam. Lea diz que as vezes criam uma história que ela nunca pensou que a obra contaria, e isso para Lea é o maior resultado de seus trabalhos, prender os olhares das pessoas e dar ares a sua imaginação.

Mas engana-se quem pensa que tudo são flores. Como ocorre com quase todo artista, Lea Sousa já pensou em desistir. Começou um trabalho totalmente diferente do ramo, mas ela mesmo confessa: não passou um mês, estava infeliz e não era o que queria. Saiu do trabalho que levou anos para conseguir e começou investir de vez em suas telas para uma breve exposição.

Sua aposta deu certo, foi a única mulher finalista do Maranhão selecionada para o Projeto "Arte em Cores" da Vale, que lhe deu a oportunidade de mostrar seu trabalho publicamente, com pinturas em locais públicos de Açailândia. Conseguiu isso com sua obra "Sobrevivente" que retrata o pássaro símbolo do Pantanal, Tuiuiú, sobrevoando seu hábitat natural em chamas.

Lea relata que sendo artista e mulher se sente confortável, pois nunca sofreu nenhum tipo de preconceito enquanto pintava murais, por exemplo, o que lhe deixa feliz, já que isso demonstra que as pessoas estão tendo mente aberta para a presença da mulher nos diversos meios de ambiente de trabalho, sendo que sua área está começando a ser mais valorizada.

Para além da expressão dos sentimentos do artista, a arte é resistência, é protesto e Lea já fez uso disto. Quando quis chamar atenção para as péssimas condições das ruas de seu bairro, tirou recursos do bolso e colocou as mãos a obra, desenvolvendo um grande painel que constrata a beleza da arte com a crueza da realidade. Ela agradece quando é notada, difícil mesmo é não notar!

maranhaoemfoco.com.br

Contato com a Artista (99) 99146-7582 / Instagram @Leapac_ / Fotos: Arquivo Pessoal.

Por: Maicon Sousa